4D ENTRADAS NA CIDADE INVISÍVEL

João Seixas e Rui Matoso

 

«As cidades, como os sonhos, são construídas de desejos e de medos, embora o fio do seu discurso seja secreto, as suas regras absurdas, as perspetivas enganosas, e todas as coisas escondam outras.» [Italo Calvino, As cidades Invisíveis]

O invisível produz cidade, desde o seu próprio princípio. É efeito do visível, mas sobretudo dos vários motos da invisibilidade – os sonhos, os desejos, os medos. Habita a cidade tanto pelo seu exterior construído, como debaixo das suas várias peles. Molda esse território oculto a que Walter Benjamin designou como o “inconsciente óptico”.
4D – ou quarta dimensão – procura entrar e explorar na produção urbana invisível, dos territórios e fluxos que normalmente se furtam à perceção mais corrente e consciente. De que forma? Recorrendo às imagens espectrais. Estas assinalam de que forma o ser humano se relaciona com os seus duplos e Janus, individuais e coletivos. No cinema, na fotografia, na literatura, proliferam propostas dessa aparente estranheza que pode coabitar com a mais prosaica familiaridade. As artes produzem e capturam imagens espectrais, fantasmas urbanos, os espíritos secretos dos lugares.
4D é um projeto de índole participativa, aberto aos cidadãos e visitantes de Viseu, com a finalidade de criar um arquivo de registos fotográficos e audiovisuais, uma exposição coletiva e uma instalação urbana. É também um processo: que promove a abertura de novos olhares e a descoberta da aparente “estranheza”, do imprevisível e do mistério da cidade. Que promove, portanto, o maior conhecimento – e reconhecimento – do que é a cidade. Visa criar mecanismos de captura visual das invisibilidades urbanas e em simultâneo promover perceções (des)assombradas das realidades invisíveis que impregnam a vida da cidade, mobilizando para isso a atenção perante o contexto da urbe e dos seus lugares, da sua vida social, cultural e dos seus fluxos.

1) OFICINA EXPLORATÓRIA | IMAGENS DA CIDADE INVISÍVEL E IMPREVISÍVEL

Por João Henriques e Rui Matoso

Local | Rua D. Duarte, 51

Horário | 11 de Julho – 10h00 às 13h00 e 14h30 às 17h30 Sessões |Duração | 6h

Público-alvo | Participantes e colaboradores no projeto.

Nesta oficina pretende-se explorar e introduzir os participantes ao mundo das imagens que trabalham o invisível, as fantasmagorias, a cidade espectral. Uma viagem ao universo misterioso da fotografia e das imagens que ao longo da (nossa) história, nos re-conectam com o invisível – e, algumas vezes, com o imprevisível. Iremos também desvendar os mecanismos óticos e as suas técnicas (lanterna mágica, fantasmascópio, Zootrópio, Taumatrópio, …)

>> Inscreva-se para participar no projecto 4D ENTRADAS NA CIDADE INVISÍVEL

Através do seguinte formulário online: http://www.jotformeu.com/form/41803129426350

 


 

2) INCURSÃO (stalking) FOTOGRÁFICA E VIDEOGRÁFICA

(deslocação aos lugares e registo das imagens)

Local | Rua D. Duarte, 51 (partida)   Horário | 12 de Julho – 9h30 às 19h30 com intervalos

Neste dia faremos uma visita a diversos lugares da cidade de Viseu, a um conjunto de “zonas imprevisíveis” da cidade: lugares religiosos; lugares museológicos ; habitações privadas, lugares de prazer; túneis na cidade, túneis subterrâneos , lugares de morte , ruas e becos misteriosos, espaços de fluxo e mobilidades, vazios urbanos; ruínas industriais; edifícios devolutos; lixeiras, prédios em construção, etc.

>> Inscreva-se para participar no projecto 4D ENTRADAS NA CIDADE INVISÍVEL

Através do seguinte formulário online: http://www.jotformeu.com/form/41803129426350


 

3) EXPOSIÇÃO COLECTIVA “4D – A CIDADE INVISÍVEL”

Local | Largo Pintor Gata

Produção e montagem | 13 > 15 de Julho

Inauguração | 15 de Julho – 21h30

A partir do conjunto de fotografias e filmes criados pelos participantes será produzida uma exposição coletiva, a qual será dinamizada através de um conjunto de atividades complementares:
3.a) VISITAS GUIADAS / Local | Casa da Farmácia Pinto, Largo Pintor Gata / Horário | 17 e 18 de Julho – 18h00 às 20h00

3.b) CONVERSAS (IN)DIZÍVEIS / Local | Farmácia Pinto, Largo Pintor Gata / Horário | 15, 16 e 17 Julho – a partir das 21h30

Conversas aberta a todos e em especial aos participantes em torno das imagens espectrais e da cidade invisível (fotografia e cinema)

>> Inscreva-se para participar no projecto 4D ENTRADAS NA CIDADE INVISÍVEL

Através do seguinte formulário online: http://www.jotformeu.com/form/41803129426350


 

4) OFICINA | FAZER FANTASMAS

Local | Casa da Farmácia Pinto, Largo Pintor Gata /  Horário | 18 e 19 Julho, das 16h às 18h

Público-alvo | Crianças 9 > 12 anos

Vamos criar dispositivos óticos e mecânicos que permitam a criação de imagens fantasmagóricas, para assustar os adultos mais medrosos e depois chamar os caça-fantasmas.


 

5) INSTALAÇÃO URBANA FANTASMASCÓPIO

Dispositivo audiovisual de projeção de imagens espectrais no espaço público.

Local | Largo Pintor Gata /  Horário | 14 > 19 de Julho a partir das 21h30

Durante as noites quentes de verão, num jardim ou praça pública, surgem fantasmas, espectros e outras misteriosas assombrações. São presenças irreais, de um mundo invisível e paralelo, regressadas por instantes à cidade, e que por isso mesmo requer a presença de todas as energias e possibilidades do humano.

 


 

6) DEBATE | SOBRE A CIDADE INVISÍVEL

João Seixas, Mário Alves, Pedro Campos Costa, Rui Matoso, Sandra Oliveira

Local | Rua D. Duarte, 60

Horário | 16 de Julho – 18h30